Morada14

Se as pessoas mais importantes da vida do casal estarão presentes, os pets, muitas vezes, estão incluídos neste time. Vários casais, resolvem adotar um pet juntos e o resultado é que acabam se apaixonando e levando o mascote para todo o canto, inclusive para o altar. Mas, não basta fazer o convite de casamento para o mascotinho, devem tomar alguns cuidados para que não comam o bolo do casamento antes dos convidados. Há muitas formas de permitir que tenham uma função na cerimônia e tragam um toque encantador.

Se conhecem bem o seu pequeno sabem se ele está ou não preparado para ser um convidado elegante ou até circular tranquilamente pelo salão enquanto os convidados dançam uma música da festa do casamento junto com o casal. Hoje, mostramos como envolver o pet no seu enlace e ser uma atração a mais no dia.

Estúdio Casarte

Na igreja pode?

O Dia de São Francisco de Assis é comemorado todos os anos em 4 de outubro, um dos santos mais queridos pela comunidade católica romana, é o padroeiro dos animais, da natureza e, também conhecido por ser o santo dos pobres. Portanto, se além de planejarem uma linda decoração da igreja do casamento estão cogitando levar o pet ao altar, procurem uma paróquia de São Francisco de Assis que é a única que permite animais dentro da igreja, mas mesmo sendo do santo padroeiro, nem todas aprovam.

Levando as alianças

Temos visto os mascotes cada vez mais integrados às cerimônias, deixando os noivos ainda mais felizes sabendo que o grande companheiro também está presente. Ele poderá carregar as alianças numa corrente no pescoço, segurando a alça de uma cestinha de palha com as alianças dentro (quando é treinado para isso) ou escoltando a daminha e o pajem, criando uma cena bucólica.

May Rabello Fotografia

Plaquinha "lá vem a noiva"

Assim como com as alianças, o mascotinho poderá levar um cartaz de papelão preso ao pescoço com uma frase divertida ou uma letra de música que diz muito sobre a relação. Porém, se preferem um toque mais romântico escolham uma frase curta de amor como "a mulher de sua vida está a caminho". Com certeza, será uma atração a mais para enriquecer o momento.  

Promovendo uma boa ação

Ao invés de passar a gravata para que os convidados façam uma contribuição aos noivos, o pet pode servir como inspiração para ajudar uma ONG que cuide de animais abandonados. Será um diferencial conseguirem angariar fundos e ajudar animaizinhos que não têm a mesma sorte que o seu. Podem até criar uma roupinha para o bichinho onde esteja escrito: "SOS: animais abandonados precisam de ajuda!".

Fokka Fotografias

Ele está preparado?

Antes de programar qualquer função para seu pet, pensem no quanto sua personalidade se ajusta a um evento com muitas pessoas estranhas. Mesmo se estiverem programando uma cerimônia  ao ar livre, com a decoração de casamento rústica e descontraída, ele pode se assustar com a multidão e ter uma reação não muito cordial ou, até mesmo, morder algum convidado.

Portanto, conheça seu amiguinho a fundo para saber sua reação, se não desejam que a música da entrada do casamento seja ofuscada pelo latido estrondoso do “amigão”. Antes de programar qualquer função, considerem seu temperamento, se está ou não de acordo com o evento. Mas, se é dócil e extrovertido, ele poderá ser o protagonista de belas cenas.

Homesick - Fotografia e Filme

Se o amado pet não se adaptar a nenhuma situação, por ser danadinho demais, façam um making of  junto com o mascote. Ressaltando o vestido de noiva de renda, o noivo ajeitando a gravata com o amigão ao lado ou ele segurando um buquê de flores com a boca. Será inesquecível poder ter fotos desse dia junto com o mascote em um porta-retrato na casa nova.