Studio Cubo
Studio Cubo

Supersticiosa ou não, não existe uma viva alma que esteja para casar que não tenha ouvido falar de alguma crença popular que possa atrair sorte para o casal e sua união. Até os ateus costumam adotar algumas dessas tradições, seja por conta do charme dos rituais, seja porque nunca é demais proteção ao amor dos(as) noivos(as). Ainda mais quando também é uma homenagem a quem se quer bem.

Normalmente, as providências a serem tomadas em nome da sorte envolvem usar objetos com algum significado embaixo dos vestidos, ternos ou fraques. Uma destas máximas, a tradição do “algo antigo, algo novo, algo emprestado e algo azul” trata exatamente disso. Os itens também podem estar à vista dos convidados sem nenhum problema  

Floricultura Bella Flor
Floricultura Bella Flor

Origem da tradição

Não se sabe ao certo quando essa tradição foi iniciada na Inglaterra, mas sabe-se que vem de um popular ditado inglês que lista itens obrigatórios ao par de noivos – Something old, something new, something borrowed, something blue.

A referência escrita mais antiga está em uma edição de 1871 da revista St. James, onde o autor reclama da tradição. Uma explicação mais completa foi mais tarde codificada por Charlotte Sophia Burne, a primeira mulher presidente da Sociedade de Folclore de Londres, em sua publicação de 1883 "Folclore de Shropshire: um feixe de reflexos". Nestes registros, ao que parece, a rima tem uma linha adicional: “... and a silver sixpence in her shoe” (“... e uma moeda de prata no sapato dela”, em português). Cada um dos elementos requisitados tem motivações bem claras para estarem presentes na cerimônia segundo quem as segue. E a gente mostra todos aqui.

Algo antigo

No nascimento da tradição, incluir “algo antigo” na celebração surgiu da ideia de transformar antiguidades em amuletos contra o “olho gordo”, capaz até de provocar a infertilidade na noiva ou de fazer mal aos seus filhos. Mas a interpretação contemporânea deste ponto denota dar continuidade à história de entes queridos. Por isso, geralmente se elege uma peça de valor sentimental, seja joia ou roupa de um parente com mais idade para ser usado no dia, como um enfeite para o penteado. Com esse intuito, muitas vezes os pais dos apaixonados apresentam esta herança durante o noivado.

Cia das Flores
Cia das Flores

Algo novo

O significado do novo é ainda mais direto. Representa o otimismo com o futuro, o capítulo a ser iniciado. E pode ser qualquer coisa, inclusive o escolhido entre os modelos de vestido de noiva experimentados, desde que ele não seja alugado. Mas pode ser também a lingerie, a gravata, as joias ou bijuterias, os enfeites de cabelo, os sapatos e etc. Costuma ser o item da lista da sorte mais acatado facilmente.

Rosamecanica
Rosamecanica

Algo emprestado

Usar algo emprestado de um amigo ou familiar em quem se espelha pelo seu êxito e felicidade na vida a dois, é como garantir que um pouco dessa energia benevolente te contamine um pouco. Originalmente, a ideia nasceu também da preocupação com a fertilidade do casal.

No passado, acreditava-se que usar roupas íntimas de uma amiga garantiria à noiva a capacidade de gerar filhos e que eles fossem saudáveis. Seria uma barreira contra as más vibrações lançadas pelos pretendentes desprezados, que potencialmente a tornariam estéril. Revisto, esse item acaba por ser uma bela homenagem aos parentes queridos em relacionamento duradouros e bem-sucedidos. Pode ser um pente de cabelo da sua avó, os brincos que sua mãe adquiriu durante uma viagem ou (por que não?) o perfume do seu pai.    

La Mariée
La Mariée

Algo azul

Historicamente, a cor azul representa o amor, pureza e fidelidade, não sendo à toa que tantos santos sejam retratados com um manto nesta coloração. Três qualidades que sempre foram consideradas bem-vindas para um casamento feliz. O tradicional item costumava ser uma liga, uma peça íntima da noiva, mas pode ser um buquê de noiva azul, uma gravata, um lindo par de sapatos ou até o tom utilizado na maquiagem.     

Anderson & Jessie
Casamento de Anderson & Jessie

A rima adicional

Caso queira seguir a tradição mais a fundo, também pode colocar uma moeda dentro do sapato, que teria a função de chamar prosperidade para a vida a dois. Fazer isto tanto nos sapatos da noiva quanto nos calçados masculinos é potencialmente mais problemático, já que pode incomodar quando estiverem caminhando. Portanto, é algo a ser testado antes por quem gostou da ideia!    

Agora sabendo desta superstição, sintam-se à vontade caso queiram levar ela mais a fundo. Pedir uma forcinha a mais da sorte não fará mal e pode sempre ressignificar os elementos eleitos como amuletos, que serão sempre ótimas recordações do enlace, sempre que vocês quiserem revisitar o frio na barriga do dia.