Antigamente era comum os noivos usarem uma flor na lapela do paletó, geralmente uma rosa ou cravo. Algumas histórias relatam que os cavaleiros medievais ganhavam um ramo de flores de suas amadas antes de qualquer batalha, em sinal de boa sorte, e a tradição foi sendo moldada. Mas esse acessório realmente virou moda quando o príncipe Albert ganhou de sua noiva, a rainha Vitória, um ramalhete de flores no dia do seu noivado. Ele não sabia aonde colocá-lo então fez um pequeno corte na lapela e introduziu o arranjo. Assim, os alfaiates da época passaram a incluir um pequeno corte na lapela dos paletós para que fossem inseridas flores.

Assim como o véu é incorporado aos modelos de vestido de noiva, os boutonnières se tornaram habituais para o traje da maioria dos noivos, e alguns homens mais excêntricos até passaram a colocar uma flor na lapela também em trajes casuais. Hoje é possível encontrar estilos muito originais, feitos com materiais distintos para noivos tradicionais e também para os mais descolados, inclusive combinando com o buquê de flores das noivas. O importante é encontrar o que mais se adapte à sua personalidade e ao traje. Assim, vamos te mostrar dicas de como escolher um que fique perfeito para o seu grande dia.

As flores 

As flores mais comuns para esse tipo de arranjo são o cravo pequeno, botões de rosa, orquídeas dendrobium, frésia ou gipsófila (mosquitinho). Mas não existem regras ou padrões a seguir, o noivo pode escolher a flor que quiser. Geralmente as flores dos padrinhos são diferentes da flor do noivo, e alguns protagonistas do dia C preferem outro tipo de plantas, então encontra-se boutonnières feitos com suculentas, folhagem e outras espécies.

Estilo da festa

Em trajes mais tradicionais, que acompanham uma decoração de casamento simples e elegante, como o fraque ou a casaca, as que melhor combinam são botões de rosas, cravos brancos ou vermelhos. Porém, lembramos que se você tem preferência por outra cor, como amarelo ou até um tom suave de rosa, vá em frente sem medo de errar. O noivo pode optar pela mesma flor do ramo da noiva, como um buquê de flores do campo, por exemplo, e nesse caso também deve encomendar o seu boutonnière com a florista responsável pelos arranjos do enlace. Se for fazê-lo, o ideal é que faça no dia do casamento, para garantir que a flor não murche.

Arranjos originais

Assim como as festas mais contemporâneas contam com elementos diferentes, como é o caso das decorações de casamento rústicas que se tornaram uma das preferidas, com madeira e um ar campestre moderninho, o noivo atual também não se prende a padrões. Cada vez mais é possível encontrarmos arranjos com materiais muito autênticos, flores artificiais, origamis, cristais, penas, feltro ou até de crochê, feitos artesanalmente. É uma ocasião em que o noivo pode inovar e expressar sua personalidade ou fazer uma homenagem à noiva, incluindo um símbolo marcante para o casal. 

Como prendê-lo

O boutonnière nunca deverá ser colocado no bolso do paletó, se não tiver o local próprio para colocá-lo, prenda-o com um alfinete, e o cabinho pode ser deixado exposto. E lembre-se: ele deve ficar do lado esquerdo sempre. No caso de deixar o cabo à mostra, ele poderá ser coberto com uma fita ou um tecido.

Seja qual for o estilo do boutonniàre escolhido, o imporante é que ele esteja sempre em harmonia com todo o contexto da festa, de acordo com a decoração do casamento e, claro, em sintonia com o traje e o tipo físico do noivo. Assim ficará elegante e adequado, e tenha certeza: esse acessório renderá as mais belas fotos do look do protagonista.