Davi Martins

O casamento é uma das instituições mais antigas do mundo e sofreu mudanças e adaptações ao longo da história. Veja os tipos de casamentos mais comuns:

Casamento em cartório

Fotografia Alves

Este casamento é realizado na sala de audiência ou no local determinado pelo cartório. A cerimônia é pequena apenas com os noivos, o juiz de casamentos, o escrevente autorizado e os padrinhos.

Casamento religioso com efeito civil

Luciana Ferry Fotografia

Aquele que é celebrado fora das dependências do cartório, mas quem está presente no ato do casamento não é o juiz e sim uma autoridade religiosa (um padre ou pastor etc). Depois dos noivos realizarem esta cerimônia, eles recebem um termo de casamento que precisa ser levado num prazo de 90 dias no cartório. Depois de levarem este documento, dentro de 30 dias eles recebem a certidão de casamento.

Esclarecimentos: O casamento religioso com efeito civil, pode ser realizado em qualquer parte do Brasil, basta os noivos pedirem ao cartório que deram entrada no casamento, a certidão de habilitação, que deverá ser encaminhada à igreja que realizará a cerimônia, para que possa ser feito o Termo de Religioso com Efeito Civil. Importante! Também é possível se casar primeiro no religioso e depois registrar o mesmo no civil.

Casamento em diligência

Este casamento é celebrado fora do cartório, por vontade dos noivos e consentimento do juiz. Mas, assim como o casamento em cartório, este deve ser realizado de forma pública, com o juiz de casamentos, escrevente, os padrinhos, convidados e os noivos.

União estável

É a união entre duas pessoas estabelecida na vontade de constituir uma família. O mais curioso é que o casal não precisa morar junto. A única diferença deste tipo de casamento é a inexistência da celebração, isso é, não existe a presença do juiz de paz para realizar a cerimônia.

Casamentos alternativos

Brandão Foto e Filmes

Este são para os casais que querem se casar em locais diferentes das igrejas. Para esta cerimônia opta-se muitas vezes por um mestre de cerimônias ou um cerimonialista para realizar a celebração.

Casamento moderno: isto é “juntar”

O tal do morar junto não tem cerimônia, não tem juiz e não tem celebração. Vocês simplesmente juntam as coisas e decidem morar juntos. O objetivo é dividir o que podem e apenas conviver. Mesmo alguns casais sendo contra este tipo de opção, algumas pessoas acham importante “juntar” antes do casamento oficial acontecer, é o tal do “teste drive”.