Caique Adones Fotografia

O amor que existe entre duas pessoas não é algo que se possa autorizar ou não. O amor acontece e ele existe, seja entre um casal hétero ou um casal homoafetivo. A celebração do casamento de gays ou lésbicas segue os mesmos trâmites burocráticos que um enlace entre um homem e uma mulher, não é um processo diferente, mas algumas dúvidas podem surgir na mente dos casais que estão planejando o seu dia C e que, muitas vezes, não têm muitas referências. Seja com relação aos trajes nupciais, sobre como escolher os ternos ou os vestidos de noiva, o décor ou como fazer uma cerimônia repleta de simbolismo e significado.

Embora desde 2013 o Supremo Tribunal Federal tenha aprovado a resolução nº 175, que obriga os cartórios a não recusarem oficializar a união entre casais do mesmo sexo, o tema para algumas instituições religiosas ainda é polêmico, mas o se que pode notar é que, desde que os casamentos LGBT se tornaram legais, os casais buscam não apenas oficializar sua união, mas também poder celebrá-la da forma mais personalizada e única, e saber todos os protocolos do dia ajudará a criar um evento perfeito. Por isso, se já estão com os convites de casamento prontos, vejam tudo o que precisam saber para gritar ao mundo: todas as formas de amor são válidas!

Gay Wedding in Búzios

Protocolo legal

Para que todos os casamento tenham um efeito legal oficial, é preciso que os casais compareçam a um cartório para darem entrada em sua documentação. Tanto os noivos quanto as noivas devem levar alguns documentos obrigatórios: as certidões de nascimento, cédulas de identidade originais, comprovante de residência original e duas testemunhas (elas devem ser maiores de idade e podem ter grau de parentesco, exceto pai e mãe). Você devem esperar duas semanas e, se tudo estiver certo, o oficial do cartório certificará no processo que os noivos/as estão aptos a se unirem, e dará um prazo de três meses para a realização do matrimônio.

A entrada dos(as) noivos(as), como organizar?  

Segundo os cerimonialistas, não há regras ou protocolos a seguir quando se trata de uma entrada de casamento civil. Como é feito fora da igreja, que segue seu rito em outro local, é o casal que define como desejam realizar a abertura e qual o tipo de música para entrada do casamento, a fim de tornar a celebração inesquecível. Assim, os noivos e as noivas podem entrar de braços dados com o pai e/ou a mãe, ou o casal pode optar por entrar lado a lado, quem define são vocês.

Feno Filmes

E os trajes, devem ser iguais?

Cada casal usa o traje que achar mais adequado. Se desejam entrar com vestidos de noiva simples iguaizinhos será lindo, e também podem investir em modelos diferentes, com silhuetas distintas, ou até usar modelos mais modernos, como noivas que optam por calças ou macacões, e usar um detalhe que seja igual, como uma flor ou uma joia.

E o mesmo vale para os homens, que podem usar trajes iguais, em cores alternadas ou totalmente distintos, expressando a personalidade de cada um. Podem usar um acessório semelhante, como uma gravata borboleta, meias coloridas, ou simplesmente irem distintos um do outro. 

Fernanda Pradella

Lista de convidados

Convidem todas as pessoas que querem bem ao casal e que realmente estão torcendo pela sua felicidade, evitem todos aqueles que demonstram comportamentos dissimulados de homofobia, ainda que seja um familiar íntimo ou os conhecidos que não aceitam bem o seu amor. Se o casal já conhece a postura desta pessoa, não a convide.

Inclusive ao contratar profissionais, se perceberem qualquer diferença no tratamento, procurem trocar de fornecedor. Claro que alguns profissionais vocês só conhecerão no dia, como um garçom ou barman, mas tenham esse cuidado. Para fugirem desta situação, lembrem-se que existem empresas no portal dedicadas à realização de casamentos gays, justamente para deixar seus clientes muito confortáveis, sem estresse com este tipo de atitude em um dia que deve apenas de alegria!

Bruno Ferreira Fotografia

Cerimônia

Muitas religiões ainda não permitem a união homoafetiva na igreja, mas cada casal poderá fazer um ritual livre, no espaço em que vão se casar. Podem ter um celebrante espírita, universalista ou de outro segmento, que siga uma doutrina que inspire os noivos, para aqueles que fazem questão de receberem suas bênçãos. E este não é um caminho exclusivo de homossexuais, cada vez encontramos mais casais heterossexuais também preferindo um ritual personalizado, livre e autêntico. 

Ainda assim, existem religiões que aceitam a homossexualidade e até ministram cerimônias de casamento entre pessoas do mesmo sexo, como a umbanda, o candomblé, a Igreja Cristã contemporânea e o Budismo. E outras já estão dando os primeiros passos para a liberação, como a igreja Anglicana, que desde junho de 2018 aprova a união homoafetiva, após assembleia em Brasília com clérigos anglicanos. O que é certo é que vocês poderão contar com uma celebração com bênçãos, muito amor e com a decoração da igreja de casamento como sempre sonharam. 

Taty Gonini Fotografia Artística

Nesse momento tão simbólico, o que vale é o desejo do casal para festejar sua união de forma única, e todos têm direito de construir um dia especial, cheio de magia e com frases curtas de amor espalhadas por todos os cantinhos. Apesar de ainda encontrarem algumas restrições, cada vez mais noivos e noivas LGBT conseguem ter sua celebração do jeitinho que sempre desejaram, com as pessoas que sempre torceram pela sua felicidade ali ao lado, ansiosos pelo primeiro pedaço do bolo de casamento, emocionados com vocês, e isso é que o realmente importa!