Embora ainda muito querido das noivas, a tradição do buquê composto essencialmente por rosas vermelhas encontrou nos arranjos feitos com espécies do campo um concorrente à altura. A beleza selvagem e ainda assim delicada e romântica das flores campestres parecem ir de encontro à proposta de uma visão de vida mais natural e realista, cada vez mais em alta nos casamentos. O que explica porque tantas mulheres encontram neste tipo de ramalhete o “match” perfeito para o seu look nupcial.  

Buquês montados somente com um ou dois tipos de planta são lindos, mas para aqueles que desejam um décor simples para o seu enlace, esses modelos podem ser muito pomposos. É na presunção de perfeição dos arranjos mais convencionais que mora o real incômodo. Algo que não ocorre pelo formado com as flores do campo, beneficiado pelo desalinho das cores, formatos e tamanhos das várias plantas dispostas em harmonia. 

Espécies usadas 

Girassóis, lírios, violetas, cravos, dentes de leão, azaleias e margaridas são algumas as espécies mais populares para se fabricar o buquê de flores do campo tão desejado. Mas estão longe de ser as únicas opções. Outras, menos usuais, como a protea, a verbena, a centáurea e a papoula, podem ajudar enriquecendo a composição com maior variedade e grau de exotismo. 

Nem só flores

Para um toque ainda mais selvagem e rústico, uma dica de ouro é incluir ervas, grãos e gramíneas. O trigo, o alecrim e o junco estão aí para comprovar a potencialidade da proposta, cujas possibilidades são infinitas. Caberá basicamente a você com o seu florista criar a combinação que melhor reflete o que você é e o que pretende comunicar. Nesta aventura, tome cuidado apenas para não gerar a sobrecarga sensorial pelo uso de muitos perfumes fortes. Deixe-se levar pelas combinações inusitadas e se apaixone com o efeito.    

Paleta de cores

Ao escolher a cor do buquê, verifique como ela conversa com a decoração da festa. Existem espécies disponíveis para se encaixar perfeitamente em qualquer que seja o tema e a paleta de cores do casamento. Dos tons pastéis aos dourados e azulados. 

Colorido pode ser bom

Outra ideia é incluir todas as cores no arranjo, como se ele fosse um arco-íris vivo e ambulante cujas camadas não precisam estar agrupadas por tonalidade. O resultado será um vibrante, ousado, alegre e versátil buquê, inspirado nas luzes do céu multicolorido do amanhecer ou do entardecer.  

Flores e folhas secas

Flores são tão lindas que se mantém encantadoras mesmo secas. Folhas também. Então, por que apenas não considerá-las para serem carregadas pela noiva? É rústico e encantador até para os casamentos que não tenham como tema o boho chic. Tais espécies podem ser mescladas por outras ainda vivas.

Escala

É natural que as noivas prefiram escolher tipos de flores que possuam um mesmo tamanho, geralmente pequenas, no máximo, médias, ao pensar num resultado final satisfatório. Mas não há o que temer. As maiores conseguem promover um visual fabuloso que, em contrastes com as menores, parecem ter nascido para serem dispostas lado a lado. Mesmo os grandes buquês formados com vários grandes botões possuem o seu charme. Não descarte a proposta sem ao menos experimentar. O Pinterest possui vários exemplos bem sucedidos. 

Estações do ano

Um recorte que também pode (e deve) ser usado para a escolha é o das estações do ano. Usar flores condizentes com o momento em que o casamento irá ocorrer ajuda a tornar o buquê de flores do campo mais barato e repleto de tons que talvez não fossem possíveis numa data muito diferente ao da escolhida. Use a natureza como a guia das suas decisões

São tantas, tão charmosas e únicas as opções de buquê de flores que difícil vai ser se decidir por só um. Ter em mente que o arranjo é também uma forma de expressar a sua personalidade ajuda no processo, em movimento parecido com o feito para eleger o queridinho entre os vestidos de noiva.