Celebrante e Juiz de Paz Robson Borges

Alguns casais preferem que a cerimônia seja totalmente "autêntica", sem cunho religioso, outros fazem questão de uma legítima liturgia de matrimônio, desde que junto à natureza, com uma decoração de casamento simples e elegante, mas ao ar livre. A celebração pode ser feita de uma maneira específica, seguindo a crença de cada casal e em locais distintos, porém, precisa ser direcionada corretamente. Juiz de paz, padre, pastor, celebrante, existem tantas opções que fica difícil saber qual contratar e também as diferenças de cada um. Embora possam personalizar o estilo da cerimônia, com as músicas de casamento que sejam especiais para os noivos, a maioria dos casais fica na dúvida quanto à parte legal que devem seguir. Não basta encomendar os convites e o vestido de noiva, o casal necessita saber as regras regulamentares para tornar a cerimônia exata e perfeita. Hoje te mostramos tudo sobre o juiz de paz para evitar qualquer dúvida.

Qual a função do juiz de paz

O juiz de paz é um magistrado que realiza diversas funções jurídicas. No nosso caso, ele possui a competência para realizar uma das mais importantes funções, oficializar o casamento civil. Em nome da lei ele reconhece a união, garante e estabelece todos os direitos e deveres entre os noivos em uma cerimônia sem cunho religioso. Mesmo assim, podem incluir uma entrada especial, a troca das alianças e o uso do véu, grinalda e o simbólico buquê de noiva branco.

Celebrante Carlos Corrêa

Casamento por diligência

Algumas noivas pensam que a celebração com o juiz de paz é estritamente realizada em cartório. Mas se o casal deseja que a oficialização da união seja feita no mesmo dia da celebração do casamento e no mesmo local da festa, com um juiz de paz é possível. É uma forma prática e que ainda isenta o gasto com o vestido de festa importado que estava imaginando para o casamento no civil. Caso a ideia seja casarem num sítio com a decoração de casamento rústico no meio de um jardim, também será permitido, basta contratarem seus serviços para que ele faça tudo no mesmo local.

Valor

Nos casamentos realizados no cartório é necessário o pagamento da taxa de registro e de habilitação. Mas, neste caso, não se cobra valores pelos serviços do juiz. Apenas quando os noivos desejam realizar o casamento em diligência é cobrada uma taxa pelos seus serviços. Este valor varia de cartório para cartório. No estado de São Paulo, por exemplo, custa em torno de R$ 1.300,00. E, mesmo sendo em um lugar especial, fora da igreja, poderá usar o vestido de noiva de renda dos seus sonhos e decorar o local. Vale lembrar que no casamento fora do cartório o juiz de paz deve estar acompanhado do escrevente e na presença das testemunhas, que podem ser os padrinhos dos noivos.

Cláudio Tolêdo - Celebrante

Celebração sem cunho religioso

Vale contratar um juiz de paz se você precisa casar em território neutro. A família do noivo é católica e a da noiva evangélica, por exemplo. Sabemos que, às vezes, celebrar exclusivamente em uma das religiões dos noivos pode incomodar uma das partes. Mais ainda se os noivos optam por uma terceira religião! Por isso, chamar um juiz de paz, que não leva a solenidade para o lado religioso, é uma boa saída. O casal poderá pedir para o juiz pronunciar algumas palavras simbólicas ou ainda frases curtas de amor que foram marcantes no relacionamento.

Deixar a cerimônia do jeitinho que sempre quiseram é possível! E vale a pena fazer de tudo para que expresse a identidade do casal, colocando detalhes que a torne ainda mais especial. Mesmo que adotem um estilo de consagração diferente, que surpreenda a todos, sigam o coração. Assim como fizeram questão que todas as flores do casamento fossem azuis, podem incluir como o tema da cerimônia uma música de casamento ao estilo "rock'n roll" e contratar um juiz de paz que possa celebrar o enlace ao estilo de vocês!