Seguimos ao seu lado nesse momento. Consulte o nosso Centro de Ajuda.
Casamentos

Como é a cerimônia de casamento umbanda? Conheçam esse rito e sua conexão com a natureza

Cada religião tem suas tradições e seus rituais próprios para a celebração do casamento. Conheçam a cerimônia umbanda, onde o amor é celebrado através dos guias e orixás, por meio da natureza.

Fruto do sincretismo de outras religiões, a umbanda é uma religião brasileira que prega a caridade, o amor e a elevação espiritual. Formada no início do século XX, incorpora nos seus rituais a influência de várias outras, como o candomblé, o catolicismo e o espiritismo, como não poderia deixar de ser. Por conta disso, os ritos do casamento na umbanda possuem diversos pontos em comum com aquelas que a influenciaram.

A cerimônia de casamento umbanda possui alto nível de espiritualidade e relação estreita com a natureza, além de sentido de doação. É uma excelente oportunidade de conhecer melhor toda a beleza e encanto dos seus preceitos, que propõem uma união mais simples, em que os sentimentos e a conexão do casal entre si e com o divino são os carros-chefe de tudo. 

Rodrigo Barranco Fotografia

A cerimônia  

A união é conduzida pelo Pai ou pela Mãe de Santo, que reza a celebração e faz o canal de bênçãos dos orixás e dos guias de luz ao casal. Assim, estreita os laços entre a condição humana e o divino, com o auxílio de elementos naturais. Folhagens e flores enfeitam o espaço usado para o ritual, que pode ser no terreiro ou fora dele.

Dani Batista Fotografia

Na preparação, há a defumação do local e os noivos usam os seus colares de contas de seus protetores, chamados de guias. É regra que todos os envolvidos na cerimônia estejam de branco e descalços, geralmente em roupas mais leves e mais informais. Não é habitual o uso de véu e grinalda e nem de terno e gravata, embora permitidos.  

Aline Olitto Assessoria e Cerimonial

Pessoas envolvidas

Assim como na religião católica, há a figura dos padrinhos, que estão ali testemunhando e emanando boas energias aos apaixonados. É permitido convidados de outras religiões sem que haja problema algum para o andamento do casamento.

Os “irmãos de santo” do casal no terreiro apresentam os mesmos trajes usados nas giras (cultos) habituais. Eles cantam e dançam pontos puxados pelo ogã, responsável por tocar o atabaque, instrumento de percussão usado para embalar as músicas. Há um grande espírito de festa, em que o coro formado pela junção das vozes também é acompanhado por palmas.   

A condução

Como celebrante, o Pai ou Mãe de Santo incorpora o espírito que o rege e tem o auxílio de um assistente que irá ajudá-lo no repasse dos elementos necessários para as bênçãos. Folhas, flores, água, velas e ervas são usados nesse processo, que também prevê a leitura de textos e orações, antes da troca das alianças finalizada pelo beijo que sela a união.

Toda a condução é feita em português, com o emprego de algumas saudações e orações em yorubá, uma das línguas africanas. Também há a rogação aos anjos protetores, com citações a passagens bíblicas. 

Rodrigo Barranco Fotografia

Guias presentes

É importante deixar claro que o Pai de Santo incorpora o guia-chefe da casa, em geral, um preto-velho ou caboclo. Durante a cerimônia, há cânticos próprios da religião a serem entoados por todos que evocam a energia deles e de outros guias e orixás.

Também é possível realizar um matrimônio temático no mato, na praia, casamento cigano ou em homenagem aos orixás dos noivos, por exemplo, como forma de aumentar a conexão com o sagrado. Ah, sim, devemos lembrar que os Exús não participam. Tudo é envolvente, leve e empolgante, promovendo animação e reflexão ao mesmo tempo. 

A beleza do casamento na umbanda é reflexo dos valores da humildade, da caridade e da tolerância, que são os grandes pilares da religião. É também uma grande afirmação do orgulho, força e poesia inerente à pluralidade do povo brasileiro, que fortalece o elo entre o mundano e o sagrado, usando a natureza como seu fio condutor.     

Outros artigos que podem te interessar