Quando decidem subir ao altar e começam a se preparar para colocar o vestido de noiva e o traje de noivo para trocarem votos e frases curtas de amor, já sabem que, em seguida, terão de aprender a dividir a vida com o seu parceiro(a), convivendo com alguém que pode ter manias e costumes diferentes do seus.

São muito fatores que devem levar em consideração, e existem questões que podem nunca ter passado pela sua cabeça, como, por exemplo: se você tem um bichinho de estimação e o seu amor não convive bem com esse fato? Pode parecer até engraçado, mas esse é um tema delicado, já que a maioria dos donos considera os pets um verdadeiro integrante da família, por isso é importante saber lidar com a situação da melhor maneira. Se aquela pessoa com quem decidiu dividir a vida não se dá tão bem com esse "familiar", considere essas questões.

O seu ou em geral

Vocês já entenderam que na vida e na organização do casamento que, em vários quesitos, os dois possuem gostos diferentes. Um pode preferir um modelo de lembrancinha para casamento que seja ecológico, o outro pode preferir algo que seja mais divertido, por exemplo, e isso é absolutamente normal. E o mesmo acontece com a afinidade com os animais.

Pode ser que seu par simplesmente não tenha afinidade com aquele tipo de pet que você possui e não chega a ser uma questão pessoal ou com todos os animais. Então, antes de tudo, entenda em qual das opções ele(a) se encaixa. Ninguém é obrigado a gostar do que o outro gosta, mas é preciso saber respeitar as escolhas alheias.  

Entenda os motivos

Seja por não se identificar com a espécie de animal, porque o seu pet realmente não lhe agrada ou até porque tem medo (muitas pessoas têm pânico de cachorro, por exemplo), entenda os motivos. Uma rejeição a bichos de estimação pode vir por traumas passados, como o medo de gatos ou cachorro por ter passado por situações desagradável na infância. Ou também podem ser ações e atitudes tanto suas como dele(a), como é o caso de pessoas que deixam que o cachorro durma dentro de casa, ou a mania do animal de comer certas coisas e que o seu par acredita não ser apropriado.

Novas regras

Tendo a consciência dos motivos que fazem com que o outro tenha uma certa rejeição com o seu pet, verifique a possibilidade de mudar a situação. Pode criar novas regras para um melhor convívio ou até considerar contratar um adestrador, caso seja necessário. Essas atitudes com certeza fazem as situações melhorarem, e ao ver que você se prepcupa, isso faz com que o outro se aproxime do animal, eliminando aquilo que lhe incomodava. 

Tolerância

E se mesmo com as outras dicas nem você conseguiu que ele(a) se aproximasse ou que conseguisse passar por cima de certas barreiras, é preciso praticar a tolerância dos dois lados. Você deve respeitar o espaço do outro e não forçar uma situação indesejada ou criar um dilema eterno por esse motivo. Ninguém é obrigado a gostar ou não de algo, .

E por parte do outro, é importante também respeitar a paixão que você tem por esse animalzinho de estimação, sem que ele se sinta incômodo, cada um respeitando os limites de convivência. É preciso entrar em acordo sobre isso antes de subir ao altar, afinal, dizer "sim" ao outro significa dizer "sim" a tudo o que faz parte da vida dele

Ainda que a organização da festa tome todo o tempo de vocês, não devem se esquecer de saber como levar essas questões, que serão muito importante no convívio. Saibam conversar e que isso seja feito antes que um ou outro extrapole seus limites. Encontrar os objetos perfeitos para a decoração de casamento é fundamental para o dia C, mas saber ouvir e tentar crescer juntos, respeitando os medos e os limites do outro, é importante para toda a caminhada que vocês farão lado a lado.