São muitas as tradições e costumes ligados ao matrimônio e a cerimônia nupcial. Apesar de algumas poderem parecer antiquadas, outras são muito atuais. Em qualquer um dos casos, pouco sabemos das suas origens e significados. Respeitamo-las mais por superstição do que por crença.

Em seguida explicamos o porquê de algumas das tradições e costumes de casamento mais populares.

O vestido branco

Pode parecer mentira, mas vestir de branco é uma moda relativamente moderna, mais concretamente do século XIX, quando a rainha Victoria se decidiu casar desta cor com Alberto de Saxe-Coburg. O branco também é símbolo de pureza e virgindade.

Algo velho, algo novo, algo azul e algo emprestado

A tradição diz que a noiva deve chegar ao altar com:

  • Algo velho que representa a ligação da noiva com as suas origens familiares e com o seu passado, bem como a passagem a uma “nova vida”.
  • Algo novo que representa a esperança na nova vida que espera a noiva, cheia de felicidade e bons agouros.
  • Algo azul, símbolo da pureza e da fidelidade no casal.
  • Algo emprestado que representa a felicidade e a boa sorte desejados ao futuro casal por parte de uma verdadeira amizade.


 O anel de compromisso

Simboliza o amor eterno do noivo pela sua futura esposa, um amor tão forte e puro como o ouro e os diamantes, materiais normalmente utilizados na elaboração de anéis de noivado.

As alianças

O ritual da troca das alianças tem a sua origem na cerimônia pagã da Roma Antiga, embora já os egípcios trocassem alianças perpetuando assim o seu amor. O fato de levar-las no dedo anelar vem de uma antiga crença grega que dizia que a veia deste dedo conecta diretamente com o coração.

Jogar arroz

A tradição de jogar arroz aos recém casados tem a sua origem na cultura asiática, onde o arroz é símbolo de fertilidade. Com este ritual deseja-se aos noivos uma grande descendência.

Levar liga

A liga representa o mistério e a virgindade. Como o branco simboliza a pureza e o azul fidelidade, muitas mulheres optam por levar uma liga com estas cores.

Oferecer a liga e jogar o bouquet

A tradição do noivo tirar a liga da noiva e oferecê-la tem a sua origem em França no século XVI, onde se considerava que a liga trazia boa sorte. Os convidados perseguiam a noiva e tiravam-lhe a liga à força. Para evitar isto as noivas começaram a “atirá-la” voluntariamente. Este costume alargou-se depois ao bouquet. Atualmente, a tradição de jogar o ramo de flores ou oferecê-lo diz que a pessoa que o agarre ou receba será a próxima a casar-se.  Por outro lado, o costume de levar um ramo vem do antigo Egito, onde se considerava que afugentava os maus espíritos.