Foto por MeuAnel Jóias


Usado na fabricação fios elétricos, cápsulas de munição, filamentos elétricos, o tungstênio adentrou no mundo dos casamentos em formato de aliança. É um metal altamente resistente (aproximadamente 10 vezes mais que o ouro). Dizem até que é o mais duro que existe na terra. Alianças fabricadas com esse material, têm brilho e durabilidade garantidas.

Existem controvérsias, porém, sobre seu uso. Cientistas ainda não sabem se ele prejudica a saúde do ser humano e o meio ambiente. Apesar de o considerarem seguro para ser usado no formato de joia, pesquisadores do Chemical and Engineering News garantem que o metal pode prejudicar o crescimento de plantas e animais, e que não têm total conhecimento sob os efeitos de seu uso.

Ao penetrar no solo, o tungstênio reage com substâncias como o oxigênio, formando novos compostos químicos. Estudos mostraram que, girassóis plantados em solo onde havia a presença de produtos a base do metal nasceram menores, e com pior aparência. Os malefícios que causa são comparados aos do chumbo, que provoca problemas neurológicos em fetos e crianças. Chegou-se a essa conclusão ao constatar que, minhocas que entram em contato com a substância tornam-se estéreis.

Pensando nisso, será que vale a pena investir numa aliança confeccionada com este material? Algumas empresas oferecem benefícios como garantia vitalícia para qualquer problema com o produto, e certamente ele têm um preço mais atrativo do que outros materiais, como por exemplo o ouro. Mas ele ainda está sob investigação, e deixá-lo em contato com a pele diariamente ainda é caminhar no escuro.